Câncer de pele no inverno: isso é possível?

No inverno podemos ser levados ao engano de pensar que o sol deu trégua, mas a realidade é que apesar do frio, os raios U.V.A. e U.V.B. continuam incidindo sobre a pele.

Este é o tipo de câncer é o mais comum no Brasil e corresponde por 25% de todos os casos de tumores malignos registrados no país segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA). De acordo com as estatísticas, são esperados mais 181 mil novos casos para este ano.

O simples cuidado de se utilizar o protetor solar é benéfico tanto pela prevenção quanto pelo efeito hidratante, já que no inverno a tendência é de que a pele resseque mais e produza menos sebo. Para aproveitar essa vantagem, basta utilizar um protetor solar acima de volume 30 e que tenha função hidratante, facilmente encontrado no comércio.

E sempre que houverem sintomas suspeitos com relação a manchas e pintas, não deixe de tirar a dúvida com um dermatologista.

O Instituto Catarinense Mais Saúde Oferece acesso aos melhores médicos de Joinville e região a partir de R$19,90 ao mês. Conheça:

Quero conhecer

Câncer de pele no inverno: isso é possível?

Comentários

Classificado como: