Alcoolismo, quando e onde encontrar ajuda:

Como saber se alguém pode ser considerado alcoólatra? Como ajudar? Onde encontrar auxílio? Essas são algumas das preocupações para quem se vê em uma situação de vício, ou tem algum familiar precisando de aconselhamento e tratamento.

Dia 18 de fevereiro é o Dia Nacional do Combate ao Alcoolismo. Apesar da data, a atenção com este problema vale para todos os dias do ano. O álcool é um problema de saúde pública que acomete cada vez mais pessoas no mundo todo. Apesar do consumo em excesso ser tratado na maior parte das vezes como assunto banal, é importante encarar o problema com seriedade e sempre buscar ajuda especializada.

Muitos pensam que o vício é caracterizado somente quando o consumo é frequente e em grande quantidade, porém esse é o primeiro mito que deve ser deixado de lado. A partir do momento em que o álcool passa a se tornar uma muleta emocional, como uma fonte de fuga para relaxar ou fugir de problemas, é importante buscar orientação. As constantes bebedeiras onde se perde o controle das ações são outro de indicador de necessidade de ajuda.

Além dos problemas familiares, sociais e psicológicos, os danos físicos também são graves: casos de câncer de boca e orofaringe, laringe, esôfago, fígado, reto, mama e vários outros são associados, segundo pesquisas, ao consumo de álcool.

Para combater o vício, a atitude faz toda a diferença:

  • Acompanhamento psicológico: é fundamental, pois ajuda o paciente e familiares a entenderem de forma objetiva a situação. Com a ajuda psicológica torna-se possível identificar o que desencadeia o vicio, problemas correlacionados, além de buscar mecanismos para superar este distúrbio;
  • Grupos de ajuda: conhecer pessoas com o mesmo problema pode ser um importante passo em um processo de recuperação. O sentimento pertencimento ao grupo gera confiança e aumenta o incentivo pessoal na busca. Estar próximo de pessoas que se superaram permite uma maior motivação. É comum que hajam grupos de Alcoólicos Anônimos na cidade e até mesmo em igrejas. Em várias cidades de Santa Catarina há grupos ativos. Aqui você pode acessar a lista nacional com todos os contatos de cada grupo.
  • Assistência de outros profissionais da saúde: não deve ser deixado de lado a avaliação do estado de saúde geral ao buscar-se tratamento, independentemente da abordagem adotada. Casos de danos físicos podem e devem ser diagnosticados, pois há doenças silenciosas que podem matar se  não identificadas. Os tratamentos em conjunto cooperam para um enorme aumento da expectativa de vida de um paciente em recuperação. Aqui por exemplo, você encontra acesso a todos os profissionais de que necessita em um só lugar.
  • Apoio familiar: os pequenos gestos de entes queridos podem ser a diferença para o sucesso da recuperação: a atenção, a conversa franca, a decisão, a valorização dos pequenos avanços, são todos pontos que somam para isso. Um exemplo seria o simples gesto de não servir álcool em um encontro familiar de fim de semana: evita o stress, uma possível recaída, além de cultivar o bom exemplo.

Você tem dúvidas? Precisa da opinião de um especialista? Conte com o Instituto Catarinense Mais Saúde. Tenha acesso aos melhores médicos, psicólogos e especialistas em planos a partir de R$19,90 ao mês, em Joinville, Florianópolis e cidades próximas. Conheça:

Quero conhecer

Alcoolismo, como lidar com a situação:

Comentários

Classificado como: